Sexta-Feira,  15/06/2012 

IBC-BR DE ABRIL REFORÇA PIB DO 2º TRI PRÓXIMO DE 0,5%

Nessa semana foram divulgados dois importantes indicadores da atividade econômica do mês de abril: as vendas no varejo e o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). A avaliação geral continua reforçando o quadro de crescimento do varejo a taxas mais elevadas que a indústria, mas que segue sendo insuficiente para impulsionar o crescimento do PIB este ano.

O comércio varejista restrito apresentou crescimento de 0,85% em abril (na série livre de efeitos sazonais) e já acumula alta de 4,3% no ano, desempenho muito superior ao da indústria que acumula queda de 1,2%. Apesar do crescimento no mês ter decepcionado a mediana das expectativas do mercado, que apontavam alta de 1,4% (nossa projeção era de 0,4%), a abertura dos dados continua bastante favorável. Todos os setores apresentaram crescimento na margem, com exceção do setor de supermercados e produtos alimentícios em geral, cujo desempenho parece devolver parte de um crescimento anormal no mês de janeiro, quando apresentou variação de 8,4% ante dezembro.

As vendas no varejo ampliado, que incluem os setores de automóveis e materiais de construção, também tiveram bom desempenho com crescimento de 0,7%. É interessante notar, no entanto, que essa alta se deve quase integramente as vendas de material de construção que subiram 1,8%. O setor de veículo ainda não incorporou todo o efeito da redução de IPI em automóveis feita pelo governo e teve ligeira expansão de 0,2%.

Mesmo incorporando os dados do varejo ampliado, o IBC-Br de abril teve leve alta de 0,22% em relação a março, novamente prejudicado pela queda da produção industrial no mês. Com essa divulgação, reafirmamos nossa projeção para o PIB do segundo trimestre ao redor de 0,5%, afastando ainda mais a possibilidade de um crescimento do PIB maior do que 2,5% este ano.


Carlos Eduardo Lopes

 
      POLÍTICA DE SEGURANÇA E PRIVACIDADE |  © Copyright Banco Fibra - Todos os direitos reservados